314422 836376 836376 245057 314422
 
  • jorgecaixote

Manifestantes do Extremo Oriente da Rússia despejam aos milhares enquanto a repressão se intensifica

Apesar de várias prisões de manifestantes nesta semana, Khabarovsk viu um quarto comício maciço consecutivo no sábado.

A mídia local informou que mais de 10.000 pessoas participaram do protesto de sábado em Khabarovsk. Dmitry Morgulis / TASS KHABAROVSK – Enquanto a chuva batia, um mar de guarda-chuvas enchia o vale que se tornou parte do caminho trilhado pelos manifestantes em sua marcha diária pela cidade de Khabarovsk, no Extremo Oriente da Rússia.

Apesar do aguaceiro torrencial de verão, milhares foram às ruas para o quarto protesto maciço de sábado, o principal evento dos comícios diários. Agora, há uma manifestação há 22 dias consecutivos desde a prisão do governador Sergei Furgal, em 10 de julho, por várias acusações de assassinato de 15 anos de idade, que seus apoiadores acreditam serem vingança por terem votado em um político que não representa o partido governante da Rússia Unida no país. escritório. Furgal é membro do Partido Liberal Democrático nacionalista da Rússia.

Mas como o movimento de protesto assumiu uma postura cada vez mais anti-Kremlin nas últimas duas semanas, as autoridades começaram a reprimir.

Nesta semana, eles entregaram a dois manifestantes sentenças de prisão de uma semana, aplicaram multas de 10.000 rublos (US $ 134,4) cada em outros dois manifestantes por participarem de protestos não sancionados e detiveram outros dois na véspera do comício de sábado, prendendo-os durante a noite. De acordo com a lei russa, as manifestações devem ser previamente acordadas com as autoridades, que não aprovaram nenhum dos comícios de Khabarovsk.

Alguns meios de comunicação locais estimaram que mais de 10.000 pessoas compareceram ao comício de sábado – ainda grande em uma cidade de 600.000, mas menos que as três anteriores e a primeira vez que os números caíram. Embora este tenha sido o primeiro fim de semana chuvoso desde o início dos protestos, houve também os primeiros sinais de que o movimento surpreendente pode estar perdendo força.

“Alguns dias são realmente difíceis e acho que devo descansar minhas pernas”, disse Nikolai, um manifestante de 30 anos que caminha com a ajuda de uma bengala após um acidente de carro. Ele marcha quase todos os dias desde que os comícios começaram no mês passado. “Mas pretendo continuar fazendo isso até Putin começar a nos tratar com dignidade.

Russian Far East Protesters Turn Out by the Thousands as Crackdown Intensifies Despite multiple arrests of protesters this week, Khabarovsk saw a fourth consecutive massive rally Saturday.

Local media reported that over 10,000 people attended Saturday’s protest in Khabarovsk.Dmitry Morgulis / TASS KHABAROVSK — As the rain beat down, a sea of umbrellas filled the valley that has become part of the well-trodden path protesters take on their daily march around the city of Khabarovsk in Russia’s Far East.

Despite a torrential summer downpour, thousands took to the streets for the fourth straight massive Saturday protest, the main event of the daily rallies. There has now been a demonstration for 22 consecutive days since the arrest of governor Sergei Furgal on July 10 on several 15-year-old murder charges his supporters believe are payback for their having voted a politician who does not represent the ruling United Russia party into office. Furgal is a member of the nationalist Liberal Democratic Party of Russia.

But as the protest movement has taken on an increasingly anti-Kremlin stance over the past two weeks, the authorities have begun to crack down.

This week they handed two protesters week-long prison sentences, slapped fines of 10,000 rubles ($134.4) apiece on another two demonstrators for participating in unsanctioned protests and detained another two on the eve of Saturday’s rally, holding them overnight. According to Russian law, demonstrations have to be agreed in advance with the authorities, who have not approved any of the Khabarovsk rallies.

Some local media outlets estimated that over 10,000 people turned up for Saturday’s rally — still large in a city of 600,000 but fewer than the previous three and the first time numbers have fallen. While this was the first wet weekend since the protests began, there were also the first signs that the surprising movement may be losing steam.

“Some days are really hard and I think I should rest my legs,” said Nikolai, a 30-year-old protester, who walks with the help of a cane after a car accident. He has marched nearly every day since the rallies kicked off last month. “But I plan on continuing to do so until Putin begins treating us with dignity.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O plano de outra entidade

Os inimigos da pátria, Álvaro Cunhal e Mário Soares conseguiram os seus intentos, o comunismo em Portugal. Os lugares de Estado ocupados por residentes desses partidos manipulam os dados, tornando fal

 
314422