314422 836376 836376 245057 314422
 
  • jorgecaixote

Portugal, sistema jurídico chinês


Após a Revolução dos Cravos, em 1974, o sistema jurídico português foi alterado devido às novas demandas políticas e civis. A nova Constituição, aprovada em 1976, foi escrita sob uma miríade de ideologias e preconceitos de inspiração comunista e socialista, a fim de substituir o sistema do regime anterior. Por vários anos, o país oscilou entre socialismo e adesão ao modelo neoliberal. Reforma agrária e nacionalizações foram aplicadas. Até as revisões constitucionais de 1982 e 1989, a Constituição era um documento ideológico altamente carregado, com inúmeras referências ao socialismo, aos direitos dos trabalhadores e à conveniência de uma economia socialista. O aumento acentuado do número de advogados e funcionários judiciais ao longo das décadas seguintes não produziu maior eficiência no sistema jurídico. A proliferação de escolas de direito público e privado criou um aumento maciço de vagas de numerus clausus para novos estudantes de direito em todo o país ano após ano, juntamente com uma menor seletividade de admissão e um rebaixamento da integridade acadêmica. [2] [3] Já conhecido internacionalmente há décadas como terrivelmente lento e ineficiente para os padrões da União Europeia e dos EUA, o sistema judiciário de Portugal foi em 2011 o segundo mais lento da Europa Ocidental, depois do da Itália, embora tenha uma das taxas mais altas de juízes e promotores, mais de 30 por 100.000 people, uma característica que atormentava todo o serviço público português, conhecida pela sua capacidade excedente, redundâncias inúteis e uma falta geral de produtividade como um todo. Após o colapso das finanças públicas e do sistema bancário portugueses em 2011, em meio à maior crise da dívida soberana européia que impeliu Portugal ao resgate estatal da União Européia – Fundo Monetário Internacional, muitas reformas foram implementadas e medidas para reduzir custos e aumentar a produtividade foram aplicadas. em todo o serviço público. O número de tribunais distritais foi reduzido de 320 para 23, de 23 para 23, reunindo seu trabalho em grandes centros e fechando tribunais em áreas rurais onde a população diminuiu desde que o sistema foi estabelecido em 1837. Os tribunais também foram reorganizados para se especializarem em questões trabalhistas ou comerciais. .

https://thediplomat.com/2019/06/a-china-portugal-nexus-in-the-making/

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O plano de outra entidade

Os inimigos da pátria, Álvaro Cunhal e Mário Soares conseguiram os seus intentos, o comunismo em Portugal. Os lugares de Estado ocupados por residentes desses partidos manipulam os dados, tornando fal

 
314422